Notícias

Sinval Medina avalia O estalo.

13/04/2015 / Luís Dill

Em e-mail enviado a Luís Dill o escritor Sinval Medina destaca as qualidade de O estalo:

Li praticamente sem interrupções "O Estalo". O livro "agarra" desde a primeira frase. Você consegue contar uma história de suspense apenas com o diálogo entre Rui e Júlia. A conversa entre os dois mostra não apenas a situação limite que estão vivendo (o que já transmite ao leitor uma forte carga emocional) mas também, à medida em que se desenrola, vai revelando as ambiguidades do relacionamento existente entre ambos. Ou seja, o diálogo serve ao mesmo tempo para esclarecer e encobrir, aumentando o clima de tensão que perpassa a história. Destaco também a fluência das falas dos personagens. Você usa um coloquial convincente, adequado à juventude dos protagonistas, sem jamais resvalar para a caricatura. A criatividade dos diálogos deriva da construção das frases (sintaxe), ou seja, do modo de falar e não do modo de pronunciar. Muitos autores, ao tentarem reproduzir a fala popular, alteram a grafia das palavras. É um recurso primário. Você usa esse recurso com absoluta pertinência nos momentos em que Júlia canta em inglês (idioma que ela, ao contrário de Rui, desconhece). Sutilezas desse tipo revelam o domínio do ofício por parte do escritor.