Notícias

Rabiscos vence Açorianos de Literatura 2020

18/12/2020 / Luís Dill

O livro "Rabiscos" de Luís Dill foi o vencedor do Prêmio Açorianos de Literatura 2020 na categoria Juvenil. Publicado pela Editora Positivo, a obra conta com ilustrações de Fernando Vilela. Confira a matéria do Correio do Povo:

 
Livro do Ano é de Arthur Nestrovski
Obra de ensaios do crítico e músico porto-alegrense, radicado em São Paulo, ‘Tudo tem a Ver’ foi o vencedor do Açorianos de Literatura em premiação nesta quinta à noite.
 
O livro de ensaios “Tudo Tem a Ver”, do crítico, professor, tradutor, músico porto-alegrense, radicado em São Paulo, Arthur Nestrovski, editado pela Todavia, foi o grande vencedor do Açorianos de Literatura 2019/20, em cerimônia virtual conduzida pelo coordenador de Literatura e Humanidades da Capital, Sergius Gonzaga, e transmitida pelas redes sociais da Coordenação e da Biblioteca Municipal Josué Guimarães na noite desta quinta-feira. O livro vencedor também da Categoria Ensaio de Literatura e Humanidades condensa um conjunto de dez ensaios – seis sobre música, quatro sobre literatura –, mais um conjunto de textos curtos publicados na imprensa. Entre a música e a literatura, passamos de Chico Buarque a Beethoven, de Jorge Luis Borges a Philip Roth e Ian McEwan. Uma última seção reúne comentários inéditos sobre as várias “vidas” do autor: de professor, editor, tradutor, crítico, músico, diretor de orquestra.
 
Ao todo, foram 284 títulos inscritos em oito categorias do Açorianos de Literatura, no que o coordenador de Literatura e Humanidades, Sergius Gonzaga, comparou ao surgimento da geração de 1970 e 80 na literatura produzida no Rio Grande do Sul, como nomes como Josué Guimarães, Aldyr Schlee, João Gilberto Noll, entre outros. O Açorianos de Literatura foi realizado no dia do nascimento de Erico Verissimo em 1905, o 17 de dezembro.  
 
PUBLICIDADE
 
Nas demais categorias, houve um caso de empate entre duas obras como vencedoras da Narrativa Longa (Romance), entre “Marrom e Amarelo”, de Paulo Scott (Alfaguara) e “Os Donos do Inverno”, de Altair Martins (Não Editora). Das oito categorias, três prêmios foram para escritoras mulheres. Na categoria Conto, o vencedor foi o surpreendente e visceral livro de estreia da jornalista e escritora Priscila Pasko, “Como se Mata uma Ilha” (Zouk); na Poesia, a vencedor foi Anna Mariano com seu “Apenas por Nós Choramos, de Anna Mariano (L&PM) e na Crônica, deu a consagrada Martha Medeiros, com a obra “Comigo no Cinema” (L&PM). Na categoria, um trabalho cuidadoso de resgate da poesia japonesa foi o vencedor, “Cem Poemas de Cem Poetas – Antologia Poética do Japão”, com organização, notas e tradução do professor da Ufrgs, Andrei Cunha. Nas literaturas infantil e infantojuvenil, as vitórias foram de “Histórias de (não) Era uma Vez”, de Maria Luiza Puglia (Physalis Editora), com ilustrações Martina Schreiner, e de “Rabiscos”, de Luís Dill, com desenhos de Fernando Vilela (Editora Positivo).
 
 
 
A noite também foi de homenagens especiais para o Instituto de Cultura da PUCRS; para a editora Figura de Linguagem, fundada por Luiz Mauricio Azevedo e Fernanda Bastos;  para o poeta e editor Rossyr Berny, fundador da editora Alcance; e para a professora, escritora e Doutora em Romanística, Regina Zilberman; para o historiador e escritor Voltaire Schilling e para o professor, ensaísta e crítico literário Flávio Loureiro Chaves.  
 
  
 
VENCEDORES DO AÇORIANOS DE LITERATURA
 
LIVRO DO ANO:
 
Tudo tem a ver, de Arthur Nestrovski (Todavia).
 
CATEGORIA ESPECIAL
 
Cem poemas de Cem Poetas– Antologia poética do Japão / por Andrei Cunha (tradutor) – Class.
 
CONTO
 
Como se mata uma ilha, de Priscila Pasko (Editora Zouk)
 
CRÔNICA
 
Comigo no cinema, de Martha Medeiros (L&PM)
 
ENSAIOS DE LITERATURA E HUMANIDADES
 
Tudo tem a ver, de Arthur Nestrovski (Todavia).
 
LITERATURA INFANTIL:
 
Histórias de (não) era uma vez, de Maria Luiza Puglia, com ilustrações de Martina Schreiner (Physalis).
 
LITERATURA INFANTO-JUVENIL
 
Rabiscos, de Luís Dill, com desenhos de Fernando Vilela (Positivo).
 
NARRATIVA LONGA (empatados)
 
Os donos do inverno, de Altair Martins (Não Editora)
 
Marrom e amarelo, de Paulo Scott (Alfaguara)
 
POESIA
 
Apenas por nós choramos, de Anna Mariano (L&PM)
 
 
Fonte: Correio do Povo, 17/12/2020